segunda-feira, 31 de outubro de 2016

"De quando produzimos pérolas de grande valor.

Pr Anderjoce

Lembro-me de quando criança, minha avozinha, que tinha o dom de transformar tudo que colocava as mãos em delicias da nossa gulodice, corria acelerado quando sentia aquele cheirinho de cozinha de avó.
Em suas mãos, elementos, para mim, dos mais estranhos e sem graça, farinha de trigo, leite, ovos, açúcar...(ahhh...muita açúcar!) Se transformavam em coisinhas deliciosas de se comer.
Quando o cheirinho saía pelas janelas de avó, aquelas com cortinas pequenas e estampadas com
estampas florais, a boca de menino já ficava cheia de saliva só de pensar, de maneira gulosa, no que a vovó estaria preparando em seu laboratório de gostosuras!
De todos os quitutes, o que eu mais gostava eram uns bolinhos redondinhos e macios que minha vó chamava de bolinhos de chuva!
Não sei o por que deste nome, talvez por alegrar os netos da mesma maneira que a chuva fina quando caía no final da tarde. Ou mesmo por fazer a boca salivar, como chuva na língua!
HUM...só de escrever já estou salivando!

Estes eram os preferidos de comer até encher a minha pequena barriguinha! Mas o que mais me espantava era o dom que minha avó tinha de transformar coisas tão simples, como farinha de trigo, em alegria!
Interessantemente, quanto se tem amor na coisa, parece haver de fato uma transformação nos elementos.
Não foi Jesus que misturou saliva e areia, e transformou em visão para aquele cego?
Somos como coisinhas simples, as vezes nos entristecemos por conta da nossa simplicidade, as vezes por conta de desencontros, por que a vida é assim cheia de desencontros, e nos esquecemos daquele toque necessário para transformar tudo em alegria.
Mas me aprece que Deus, através de coisas simples, é aquele que busca restaurar em nós a alegria, como a minha avozinha fazia com os bolinhos de chuva, Deus busca produzir em nossas vidas preciosidades, pérolas de grande valor.
E nós, meninos crescidos, perdemos o toque, o dom, de fazer das coisas mas inusitadas brinquedos que alegra, substituímos os bolinhos, a chuva fina, o amor de vó, os brinquedos, substituímos pela ansiedade de adulto, pela angustia da vida, pelas preocupações que nos tomam.
Talvez se deixássemos que Jesus produzisse em nós, as tais pérolas, produzisse em nós a alegria, o lúdico desejo de se apaixonar de novo por coisas simples, talvez assim teríamos em nós um pedacinho da eternidade com Deus.
O apostolo Paulo é quem diz que os nossos corpos seriam transformados, de corruptível em incorruptível, em preciosidade, em lindas perolas!
É tempo de sermos como crianças e deixar que o Pai nos tome no colo e produza em nós pérolas de grande valor.
E assim viver a graciosidade que é estar cheio de Deus e de seu toque transformador."

Nenhum comentário:

Postar um comentário